Disponibilidade para vida – por Ana Paula Hawatt

FotoDisponibilidadeVida

Uma boa saúde mental é condição necessária para uma vida feliz. Hoje estudos já comprovam que metade da propensão para sermos felizes vem da genética, porém a outra metade vem da maneira como vivemos. Isso significa que nossos hábitos e comportamentos são fundamentais na realização da nossa felicidade.

AnaPaulaHawatt2Penso que, como qualquer outra recomendação médica, precisamos observar e correlacionar as situações aos respectivos sentimentos. A variação desses estados emocionais servirão de bússola para detectarmos os comportamentos disfuncionais que prejudicam nossa saúde mental. Dificilmente alguém questiona a prescrição de um médico clínico quanto à dieta que diminui a ingestão de gorduras, açucares e álcool; a recomendação da necessidade de uma alimentação saudável, e de exercício físico para a obtenção do bem estar. Esses fatores estão diretamente relacionados para o aumento da qualidade de vida.

Esse mesmo cuidado começamos a perceber no âmbito da saúde mental. Hoje assistimos a uma forma de tratamento psicológico que tem como objetivo não só amenizar os sintomas e patologias existentes no indivíduo, mais sobretudo potencializar, desenvolver ou até prescrever hábitos que contribuam com o bem estar psicoló- gico e emocional do individuo. Que tipo de gorduras emocionais precisamos reduzir, que quantidade e qualidade dos nutrientes como amor, alegria, prazer estamos ingerindo, quais exercícios emocionais estamos praticando diariamente com esse objetivo. Lidar com sentimentos, pensamentos, comportamentos e emoções de um modo geral é mais complexo que imaginamos. Existem algumas questões, que nos ajudam e norteiam a aquisição de uma boa saúde mental.

O primeiro item que gostaria de ressaltar são as escolhas que vamos fazendo ao longo da vida, os amigos que cultivamos, os amores que compartilhamos, a profissão que abraçamos, todos contribuem de forma decisiva na qualidade dos caminhos que irão nos conduzir na vida. Ou seja: elas podem tornar nosso caminho de sombra e plano ou árido e pedregoso; por isso precisamos estar atentos a elas.

Outro comportamento que eu mais tenho observado em muitas pessoas que tem uma saúde mental satisfatória e que eu acredito que é uma chave importante para esse bem estar, é a DISPONIBILIDADE PARA VIDA; sempre assertivas, essas pessoas estão sempre alegres, são muito divertidas, tipo de gente que queremos ter por perto.

Vamos agora ao contraponto disso: Algumas pessoas reagem de uma maneira muito peculiar a um convite. Geralmente fazem inúmeras perguntas tipo: Agora? Que horas volta? Quem vai? Essas indagações refletem as dificuldades dos seres humanos de se lançarem na vida. Na realidade esses são sinais psicológicos de alerta. Tais indivíduos na maioria das vezes não estão disponíveis para a vida. Isso quer dizer que se impõe a várias restrições, um pensamento que não flui, que trava nos mínimos obstáculos, como um simples horário. São pessoas com pouca flexibilidade para administrarem as adversidades; tudo é motivo de exclusão e reclusão. Se machucam e sofrem com muita facilidade. É um sofrimento que na maioria das vezes vem acompanhado de uma ansiedade imensa, uma dificuldade crônica de se entregar ao outro e às situações; a cabeça sempre cheia de preocupações desnecessárias, pensamentos distorcidos ou até negativos, medos aprendidos, emoções confusas. É por isso que precisamos ligar o pisca alerta, observar o que te limita e te aprisiona. O que te distancia do mundo, das pessoas, pois a vida se tece no encontro. São as experiências que passamos que arrematam e alinham as nossas emoções. As pessoas felizes costumam desfrutar das oportunidades que surgem, têm um convívio social amplo, muitos amigos, uma aceitação das pessoas como elas são, elas geralmente têm uma cabeça mais fresca, que não julga, um coração mais amável que acolhe, então a minha dica é: modele pessoas assim, se inspire nelas; olhe ao seu redor que você vai encontrar formas de viver a vida que contribui com o aumento do seu bem estar. Nos saramos quando tratamos nossa alma com o elixir do autoconhecimento. Precisamos de exercícios emocionais diários; a todo momento temos a oportunidade de sermos melhores, desde quando acordamos e damos um bom dia, até à noite quando vamos dormir. Uma vida feliz é construída o tempo todo, semeando um sorriso, plantando atitudes gentis, sendo o amor e a alegria na vida das pessoas. Tudo isso constrói um ser humano emocionalmente feliz, portanto vamos ativar nossas habilidades sociais, conhecer pessoas, experimentar coisas diferentes, dar uma chance à vida. Então vamos malhar, praticar belos exercícios emocionais; eles auxiliarão na sua felicidade. Essa, talvez, seja a sabedoria da vida: “Entregar-se de forma livre e espontânea, aos momentos que tecem a ROUPA QUE NOS VESTEM PARA A VIDA.”

*Ana Paula Hawatt / Psicóloga / Dir. Adm. da AMPARE.

Artigos relacionados

COMO CHEGAR



AMPARE
Associação dos Amigos dos Pacientes de Pânico
Rua Osvaldo Cruz, 393
Boa Vista - Recife - PE
Fone: (81) 3222.6252

FACEBOOK

FALE CONOSCO